Amplie seus negócios
com a qualidade Tecniconfial
Qualidade em
todos os setores
Tradição aliada a
inovação e tecnologia
Transformando objetivos em
resultados reais
Garanta um ótimo desempenho
para sua linha de produção
Agilidade na entrega
de seus equipamentos

Nem o escândalo da adulteração do leite no Rio Grande do Sul há cerca de dois meses fez com que a demanda do produto caísse no País neste primeiro semestre. O aumento do consumo, inclusive, é a principal justificativa para elevação de 3,6% no preço pago ao produtor entre maio e junho. O valor bruto pago calculado pelo Cepea, da Esalq/USP, alcançou R$ 1,0544/litro – média ponderada pelo volume captado no mês passado em sete estados, incluindo o Paraná. De janeiro a junho, o preço bruto já subiu 14,4% em termos reais. No Paraná, o número sofreu incremento de 4,3% em julho comparado a maio e a média passou para R$ 1,01/litro. No acumulado do primeiro semestre, a alta foi de 10,5% em termos reais. Nem o aumento de 10% na captação no último mês no Estado fez com que os preços estagnassem.

Fonte: National Notícias

A taxa de desemprego recuou em junho, passando de 11,2%, em maio, para 10,9% da População Economicamente Ativa (PEA) no conjunto das sete regiões metropolitanas pesquisadas pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) e Dieese. A Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) estima o contingente de desempregados em 2,4 milhões de pessoas. O nível de ocupação teve aumento de 0,4%, com um saldo de 71 mil vagas, número acima da quantidade de pessoas que passaram a disputar os postos de trabalho (22 mil). Além disso, 48 mil pessoas desistiram de concorrer no mercado de trabalho.

Fonte: Diário da Manhã

Estima-se que existam no Brasil mais de 90 espécies de plantas tóxicas que causam prejuízos em rebanhos bovinos, segundo a Embrapa Gado de Corte. Em áreas com redução de pastagem devido à estação, essas plantas, que se mantêm verdes, atraem os olhares e o paladar dos animais, podendo leva-los à intoxicação e morte. Para evitar prejuízos, especialistas alertam os produtores para identificação dessas ervas e prevenção adequada. Essas plantas tóxicas acabam se tornando uma opção de alimento nessa época do ano. Cláudio Sayão, médico veterinário e assessor executivo de Desenvolvimento Animal da Seagro, orienta que os pecuaristas fiquem atentos à presença dessas ervas no pasto ou em áreas de mata próximas, devendo manter essas reservas cercadas para evitar que os animais adentrem e consumam as plantas venenosas.

Fonte: RuralBr

A produção leiteira cresceu 3% no Brasil em 2012, com mais de 33 bilhões de litros. O país também consome mais leite. Hoje, a média anual é de 180 litros por pessoa. Era de 125 litros, dez anos atrás. O aumento do consumo é um dos motivos que explicam a alta do preço pago ao produtor. Os preços do litro de leite no mercado interno subiram de R$ 0,8829 na média do primeiro semestre de 2012 para R$ 1,0178 no mesmo período de 2013. "Houve um aumento da renda do consumidor. E ele gosta de consumir lácteos. Isso fez com que o consumo de leite aumentasse", explica o presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Leite, a Leite Brasil, Jorge Rubez.

Fonte: Ururau Rural

Atualmente o produtor está recebendo R$ 1,10/litro. No mesmo período do ano passado, o valor era de R$ 0,90. A alta tem a ver com a queda na oferta. Os principais países produtores e exportadores do mundo, Nova Zelândia e Austrália, produziram menos devido ao clima. Também houve problemas na América do Sul, como explica o diretor da Colaso: “O Nordeste teve uma seca muito grande com queda de 50% na produção. Também ocorreram fatores externos: Redução de 10% na produção Argentina e de 6% no Uruguai. São os dois países que exportam para o Brasil. Com isso, a gente teve redução de importação de leite do Mercosul em torno de 20% a 25% menos do que relativa a 2012”, diz Antonio Julião Bezerra.

Fonte: G1

A potencialidade econômica, social e gastronômica da produção leiteira de São Pedro do Butiá e região, estará em evidência durante a 3ª Expoleite Missões. O evento será realizado de 1 a 4 de agosto de 2013, no Parque Municipal de Exposições Norberto Guilherme Ten Kathen. A força dos produtores de leite de 15 municípios da região está representada na Associação Regional de Produtores de Leite das Missões (ARPLE). A produção média de leite dos municípios alcança 550 mil litros/dia e representa em torno de R$ 490 mil injetados diariamente na economia. São mais de 70 mil vacas em lactação, cuja produção abastece os laticínios de todo o Estado. Essa atividade dá sustentabilidade para mais de 7 mil agricultores familiares.

Fonte: Emater / RS

O preço do leite pago ao produtor teve novo reajuste em julho, acumulando sucessivas altas ao longo de todo o primeiro semestre de 2013 e sendo o maior patamar desde setembro/07, em termos reais (descontando a inflação do período). O preço bruto do leite pago ao produtor (que inclui frete e impostos) calculado pelo Cepea, alcançou R$ 1,0544/litro em julho – média ponderada pelo volume captado em junho nos estados de GO, MG, PR, RS, SC, SP e BA. Em relação ao mês anterior, a média registrou alta de 3,6% (ou de 3,7 centavos/litro) e, frente a julho/12, o aumento, em termos reais, é de 17%. O preço líquido apresentou o mesmo comportamento, chegando a R$ 0,9798/litro, elevação de 4% (ou de 4,8 centavos/litro) em relação a junho/13. Desde o início deste ano, o aumento no preço bruto já é de 18% em termos nominais e de 14,4% em termos reais.

Fonte: Cepea

No último ano, o preço do leite disparou no Rio Grande do Sul. Segundo a Agas, o reajuste chega a 35%. A pesquisa aponta que, em julho do ano passado, o litro de leite custava, em média, R$ 1,76. No mesmo mês, porém em 2013, o valor passou para em torno de R$ 2,39. De acordo com as empresas que industrializam o leite, o preço deve permanecer na mesma faixa por pelo menos mais um mês. A explicação é a entressafra nas pastagens e a baixa produção do alimento em São Paulo.

(G1)

As indústrias e os produtores de leite, reunidos no Conseleite/RS, homologaram dia 23/07 o preço de referência do leite padrão consolidado do mês de junho de 2013 e a previsão para o mês de julho de 2013, bem como o maior e o menor valor de referência, de acordo com os parâmetros de ágio e deságio em relação ao Leite Padrão, que servirá como indexador para os negócios do leite. O valor foi obtido  após a tabulação dos dados pela UPF - Universidade de Passo Fundo, tendo como referência o leite padrão (Base Instrução Normativa 51 do Mapa).

(Conseleite/RS)

Os números preliminares da média diária das importações de leite e derivados, em dólar, na terceira semana de julho de 2013 foram 26,6% maiores que a média de junho de 2013, e também, 48,7% maiores que a média de julho de 2012, conforme dados divulgados pelo MDIC.

 

 

Fonte: Terra Viva